CONVIDADOS CONFIRMADOS

retrato-bk-fb.jpg

Boris Kossoy, fotógrafo, teórico e historiador da fotografia é arquiteto pela Faculdade de Arquitetura da Universidade Mackenzie, mestre e doutor pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo, livre-docente e professor titular da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. É professor do Programa de Pós-Graduação da mesma instituição e coordenador do Núcleo de Estudos Interdisciplinares de Imagem e Memória – NEIIM/USP. Sua diversificada obra se desenvolveu segundo amplas vertentes: profissional, acadêmica, institucional e artística. Em cada uma delas sua atuação tem deixado marcas e seguidores. Obras de sua autoria integram as coleções permanentes do Museum of Modern Art (NY), Metropolitan Museum of Art (NY), Bibliothèque Nacionale de France (Paris), Centro de la Imagen (México DF), Museu de Arte Moderna (SP), Pinacoteca do Estado (SP) entre outras instituições. Além dessas atividades é curador, ensaísta e autor de Viagem pelo fantástico; Hercule Florence, a descoberta isolada da fotografia no Brasil (com edições em espanhol e alemão); Dicionário histórico-fotográfico brasileiro; Boris Kossoy, Fotógrafo; Um olhar sobre o Brasil (coord.), O olhar europeu: o negro na iconografia brasileira do século XIX (em coautoria com Maria Luiza Tucci Carneiro); Fotografia e história; Realidades e ficções na trama fotográfica; Os tempos da fotografia (os três últimos editados em espanhol num único volume, sob o título Lo efímero y lo perpetuo en la imagen fotográfica), entre outras obras. Em 1984 recebeu a condecoração Chevalier de l’ Ordre des Arts et des Lettres do Ministério da Cultura e da Comunicação da França, pelo conjunto de sua obra. Em 2013 foi agraciado pela instituição Porto Seguro com o Prêmio Brasil de Fotografia Especial pelo conjunto de sua obra e importante reflexão sobre a fotografia.

Foto Sabrina Meira

baixa.jpg

Ana Sabiá é Artista visual, fotógrafa e pesquisadora. Doutoranda em Artes Visuais pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), na linha Ensino das Artes Visuais. Mestra em Psicologia Social pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Licenciada em Educação Artística com habilitação em Artes Plásticas, pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP). Membro do grupo de pesquisa CNPq Núcleo de Estudos Semióticos e Transdiciplinares (NEST/UDESC) e do Núcleo de Estudos em Fotografia e Arte - NEFA (Florianópolis). Como fotógrafa vem participando de exposições e festivais de fotografia em São Paulo, Santa Catarina, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Atualmente, desenvolve pesquisas abrangendo corpo e auto-representação como estratégia de problematização do feminino através da fotografia contemporânea.

untitled.png

Sérgio Vignes expõe deste 1978 e ainda na faculdade de engenharia mecânica, eram as aulas ligadas à ótica que mais interessavam. Frequentou o Núcleo de Fotografia de Florianópolis, fez uma série de cursos, começou a trabalhar na Fundação de Meio Ambiente do Estado e puxou para si a documentação fotográfica. Apaixonado pela Ilha onde nasceu e da qual escolhe imagens há tempos para suas séries, nos anos 80 foi responsável por um dos principais registros fotográficos de Franklin Cascaes, o pesquisador do folclore ilhéu. Fotógrafo freelancer, coleciona boas histórias como a de Cascaes. Viajou o Brasil todo em trabalhos como, por exemplo, para o Observatório Social, fotografando trabalhadores do café, da mineração, gente de todo lugar.

TVIL6861 P&B1.jpg

Tadeu Vilani trabalha no jornal Zero Hora de Porto Alegre, há 21 anos. Desenvolve trabalhos documentais principalmente na região sul da América do Sul, documentando a formação étnica e transformações sociais. Com exposições individuais e coletivas, recebeu diversos prêmios, onde destacam-se, entre outros o 1º Lugar na Categoria Tecnologia, do prêmio New Holland em 2005, 1º  lugar no prêmio Massey Ferguson em 2007, 1º  lugar no prêmio Conrado Wessel em 2010,   1º  lugar na Categoria P&B, Leica-Fotografe Melhor , Primeiro Lugar prêmio ARI/RS,  Primeiro Lugar na Categoria Popular, no Prix Photo Web Aliança Francesa.em 2011, Menção Honrosa na categoria RETRATOS, no prêmio POY Latam – Colômbia em 2013, em 2016 o 1º  lugar na categoria ‘Homem Trabalhador’ na 22ª edição do Concurso Latino-americano de Fotografia Documental Los Trabajos y los Días. Promovido pela Escuela Nacional Sindical, Medellín/Colômbia, e em 2017 o 1º Lugar na Categoria Fotografia no 30º Prêmio SETCERGS de Jornalismo.

 

AleRuaro_042634.jpg

Rosely Nakagawa

Arquiteta e curadora, organizadora de mostras e publicações, fundou a  edições Joao Pereira e tem larga experiência com o caderno e o livro. Ao longo de mais de 40 anos, tem realizado trabalhos de edição, exposição e publicações. No exterior foi curadora de mostras de fotografia contemporânea no PS1 Moma Long Island, Gugguenheim Soho e no Centro de Cultura Brasil EUA, em Washignton nos Estados Unidos. No Japão realizou a mostra MixSíntese de nipo-brasileiros no Centro Metropolitano de Fotografia Contemporânea, em Nagoya. Na Europa realizou mostras no Centro Regional de Fotografia em Douchy les Mines, França, em 2004; Festival de Arles, França, em 2006; e, em Portugal, no Museu de Estremoz, em 2010. Em 2011 realizou, em cocuradoria com Guy Veloso, a mostra Extremos, na Europalia, em Bruxelas. Na América Latina organizou mostras e palestras em Buenos Aires, Argentina (1998) e México (Centro de La Imagen 1996 e 2011). 

UNADJUSTEDNONRAW_thumb_3f4.jpg

Virginia Yunes nasceu na Argentina e  vive em Florianópolis – Brasil.  Doutora em Artes Visuais (UDESC), graduada em Farmácia (UFSC) e Artes Visuais (UDESC), com ampla experiência em fotografia e em docência universitária.         Sua condição de imigrante despertou seu interesse pela diversidade cultural e étnica.  Involucrada com os missionários católicos decidiu fazer voluntariado em vários países. Morou um ano na Amazônia e dois anos em Guiné Bissau- África.  Experiências que, unida a seus primeiros ensaios fotográficos com meninos e meninas de rua em situação de vulnerabilidade social, começou a definir sua linha de atuação. Transformou sua fotografia num instrumento de comunicação e denuncia.

marcelo greco.jpg

Marcelo Greco trabalha com fotografia desde 1996. Desenvolve projetos nos principais museus do país, como MAM e MASP. Fez diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior. Faz parte de algumas coleções como da Coleção Joaquim Paiva, Museu de Imagem e do Som de São Paulo, Fundação Cultural de Curitiba, Pinacoteca do Estado de SP, etc. Foi curador geral do Festival ‘Paraty em Foco’ 2008.  Em 2009 criou a Schoeler Editions, editora especializada em edições limitadas de assinadas e numeradas pelos artistas.

Sem título.jpg

Ed Viggiani é otógrafo desde 1978. Bacharel em Sociologia  e Mestre em Ciências da Comunicação pela ECA/USP (2016). Trabalhou como fotógrafo na revista IstoÉ (1983-1986) e nos jornais O Povo (1981), Folha de S. Paulo (1989-1991; 1999-2000), O Estado de S. Paulo (2007) e Jornal do Brasil (1993-1994). Em 1991, fez a exposição individual  Matando o tempo a golpe de luz, na Galeria da Fotoptica; esta mostra recebeu o prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA) como a melhor exposição do ano. Com o ensaio fotográfico, Irmãos de fé, sobre a religiosidade popular no Brasil, recebeu o prêmio The Mother Jones International Fund for Documentary Photography, em São Francisco, nos EUA, em 1991. Autor de diversos livros.. Em 2012 foi um dos vencedores do Prêmio Marc Ferrez da FUNARTE. Desde 2014 ministra curso semestral regular nas oficinas de criatividade do Sesc-Pompeia, SP.

Sem título.jpg

Laura Lavergne (Argentina)  é fotógrafa e docente na área de fotografia. Antes da fotografia, Laura Lavergne cursou quase toda a carreira em sociologia na Universidad Nacional Mayor de San Marcos UNMSM em Lima-Perú e na Universidad de Buenos Aires UBA, Argentina. Desde 1990, começou a trabalhar profissionalmente como "freelancer" para vários meios de comunicação e empresas como a El Porteno, La Nacion, Editorial Planeta, Emecé, Tusquets, entre outros. Participou do Festival de Fotografia Floripa Na Foto e FELIFA como co-organizadora da "Feira de Livros de Fotografía de Autor", em 2011. Publicou seu primeiro livro independente "Em terra", ensaio fotográfico e documental realizado ao longo de 20 anos sobre pescadores artesanais na praia da Armação - Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Realiza exposições no Brasil e Argentina, desde 2013. Curadora dos livros de autores argentinos para os "Encontros de Livros de Fotografia de Autores Argentinos e Brasileiros", no Floripa Na Foto (2013/2015) e Balneário Camboriu Foto Festival, em 2015-2016-2017. Iniciou em 2015 o projeto "Libro Va!". Como organizadora e curadora realiza encontros entre autores de fotolivros na escola de fotografia municipal em Berazatgui-Buenos Aires 2015. Trabalha atualmente como professora, produzindo oficinas de Fotografía Inicial e Fotolivros em instituições de ensino público e privado, para adultos, crianças e adolescentes. Desenvolve projetos de fotolivros (edição e gestão de softwares) e é atuante/colaboradora na "Feira de Libros de Fotos de Autor" (FELIFA), em Buenos Aires e na organização dos encontros de livros de fotografia de autor do Festival Floripa na Foto e BC Foto Fesival. Idea E realicaçao  da I Mostra de livros de fotografia de Autor La Habana-Cuba “Noviembre fotográfico”- Fototeca de Cuba, 2016.

retrato Lilian.jpg

Lilian Barbon é Fotógrafa e Artista Visual. Mestre e Bacharel em Artes Visuais pela UDESC e Especialista em Fotografia: Práxis e Discurso Fotográfico, pela UEL. Possui diversas premiações na área de fotografia e artes visuais, podendo destacar: Prêmio “Llamale H”, da Asociación Civil por la Cultura y la Diversidad, em Montevidéu -UY; Premiação no XX Encontro de Artes Plásticas de Atibaia/SP; Premiação no 14º. Salão UNAMA de Pequenos Formatos, em Belém-PA; Premiação no III Concurso de Fotografia Next-Photo, em São Paulo – SP. Em 2016 foi selecionada para participar da residência artística da Bienal de Cerveira, em Portugal .Atua como instrutora de oficinas de fotografia por todo o território nacional.

ssaka.jpg

Sérgio Sakakibara é professor de fotografia, bacharel em Artes Visuais pela Universidade do Rio Grande do Sul (UFRGS), servidor da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), atualmente lotado no Museu Nacional do Mar, em São Francisco do Sul. Já ministrou a oficina de Fotografia de Grande Formato na Universidade de Brasília, em Brasília, e na Casa de Cultura Mario Quintana, em Porto Alegre.

roberval_santos.jpg

Roberval Santos é técnico em Fotografia no Centro de Artes da Fundação Universidade do Estado de SC – UDESC, trabalhou na Photomakers Estúdio e Laboratório em Curitiba de 1997 a 2001 como Fotógrafo. Gerente administrativo. E no Fóton Estúdio e Laboratório de 1995 a 1997 como fotógrafo. Assistente de estúdio e laboratorista.

Com longa experiência como fotógrafo, destaca-se a participação como Técnico Fotográfico e Consultor Técnico na produção de vídeo sobre “Processos de revelação fotográfica” usado na exposição “Câmeras: entre o clique e a foto” no Museu da Imagem e do Som de SC, Florianópolis – SC. 2015. Membro da “The Cloud Appreciation Society” desde 2010.